Hello!

Here’s another interview from the “Como Aprender Inglês Sozinho” series.

Through this series I am giving others the chance to share what practices work for them and how they have become or are becoming excellent in English.

We all learn differently, and it’s important to create a personalized system for English studying. Hopefully you will find some valuable methods or insights that you can integrate into YOUR learning.

Today the interview is with Márcio, who is an English teacher in São Paulo. Because of his love of English he has become very proficient in English and has taught in various situations for over 10 years.

For those of you who don’t love English, it’s important to listen to those who do! (like Márcio)

Why?

Because they can give you some good tips on how to start enjoying English. And if you enjoy the process more, you will see great progress.

I promise!

So watch the video and let me know what you think. If you’d like to talk to Márcio I’m sure he would be more than happy to chat. Just let me know.
Aqui está outra entrevista da série “Como Aprender Inglês Sozinho”.

Através desta série, eu estou dando a outros a oportunidade de partilhar as suas melhores métodos e falar sobre como eles se tornaram ou estão se tornando excelente em Inglês.

Todos nós aprendemos de forma diferente, e é importante criar um sistema personalizado para aprender Inglês. Eu espero que você vai encontrar alguns métodos valiosos ou idéias que você pode integrar em seu aprendizado.

Hoje a entrevista é com o Márcio, que é um professor de Inglês em São Paulo. Por causa de seu amor de inglês, ele se tornou muito proficiente em Inglês e tem ensinado em várias situações há mais de 10 anos.

Para aqueles de vocês que não adoram inglês, é importante ouvir aqueles que adoram! (como Márcio)

Por quê?

Porque eles podem lhe dar algumas boas dicas sobre como começar a desfrutar inglês. E se você apreciar o processo mais, você vai ver um grande progresso.

Eu prometo!

Então assista o vídeo e me avise o que você pensa. Se você gostaria de falar com o Márcio, eu tenho certeza que ele seria mais do que feliz para conversar. Apenas deixe-me saber.

 

Portuguese transcript! 

Kevin: Aqui é o Kevin, estou aqui novamente com mais uma entrevista para vocês, tentando te ajudar a aprender Inglês, estou entrevistando vários dos meus amigos no Brasil, que aprenderam ou estão aprendendo Inglês com sucesso, não da forma tradicional, focada em uma escola ou em alguém para ensiná-los magicamente, e sim tomando o controle e aprendendo como ensinar Inglês a si mesmos. É possível para todo mundo você apenas precisa saber como fazer isso. Então, hoje vou falar com o Márcio e farei algumas perguntas para ele, perguntas básicas sobre sua experiência com o Inglês e o que ele fez para alcançar o nível bastante avançado de Inglês no qual ele se encontra atualmente. Então, como você está hoje?

Márcio: Estou bem, obrigado.

Kevin: Vamos direto ao ponto, seu nome é Marcio, me conte um pouco sobre você? Apenas algumas informações básicas.

Márcio: Ok, Sou Brasileiro, sou um professor de Inglês aqui em São Paulo, e já ensino inglês há dez anos.

Kevin: Ok, dez anos ensinando Inglês, e em que tipo de escolas você ensina?

Márcio: Em escolas particulares, em aulas particulares e em escolas públicas também.

Kevin: Então você tem uma agenda cheia, eu imagino?

Márcio: Sim.

Kevin: Falando Inglês todos os dias.

Márcio: Eu tento, especialmente em escolas públicas. É um pouco difícil, mas eu tento, faço o meu melhor.

Kevin: Em uma aula de Inglês é bom ter, de fato, Inglês na aula, mas sei que em escolas públicas nem sempre é assim.

Márcio: É, isso mesmo.

Kevin: Você já ensina Inglês há dez anos, incluindo esses anos, eu acho que você está sempre aprendendo, não é?

Márcio: Sim, o tempo todo, todos os dias.

Kevin: Há quanto tempo você vem aprendendo? Por quanto tempo você aprendeu Inglês antes de se tornar um professor?

Márcio: Aproximadamente quinze anos.

Kevin: Wow, então por quinze anos antes de se tornar um professor, você estudou?

Márcio: Isso mesmo, especialmente porque quando eu estava no Ensino Médio, eu fiz um curso técnico, e por conta disso eu só tive aulas de Inglês durante meu primeiro ano.

Kevin: Certo, então você meio que parou por um tempo?

Márcio: Sim.

Kevin: E, me conte um pouco mais, quando você começou, é claro que algumas escolas, a maioria das escolas te força a fazer aulas de Inglês, mas nos colégios públicos, geralmente as aulas dadas de graça são bastante inúteis, não é?

Márcio: Sim.

Kevin: Você decidiu passar muito mais tempo da sua vida aprendendo Inglês. Você pode me dizer por que e como isso aconteceu, e a história de como você começou?

Márcio: Eu comecei quando tinha onze anos de idade, quando tive meu primeiro contato com a língua Inglesa e fiquei maravilhado com os professores falando Inglês e dentro da sala, eu disse, oh meu Deus, veja como essa língua é maravilhosa, eu estou tão curioso para aprender sobre ela, e quando eu tive esse primeiro contato, eu comecei a tentar ler algumas frases, porque não tinha ideia de vocabulário algum, ou palavras, e por isso eu tentava imitar pessoas estrangeiras falando inglês em frente ao espelho, e comecei a ouvir sons e tentar repeti-los, e procurava a tradução das palavras e frases e tentava usá-las em minha vida real.

Kevin: Interessante, então parece que o primeiro método que você usou foi tentar imitar os sons do Inglês, você diria isso?

Márcio: Sim.

Kevin: E imitar o Inglês ou falar com você no espelho provavelmente não era um Inglês muito bom, eu imagino?

Márcio: Sim, mas nesse caso eu estava apenas começando.

Kevin: Você não estava preparado.

Márcio: Eu estava na frente do espelho e tipo (rarrragh), sabe, tipo assim.

Kevin: Porque linguagem é som, e se você aprende os sons da linguagem e começar a partir disso, pode ser de grande ajuda. É como música, e você disse que também escuta música e tenta imitar as letras, certo?

Márcio: Às vezes eu usava algumas das frases que aprendi com algumas músicas e tentava falar como (inaudível 0:05:24.7) Eu escolhia alguma música para tentar e falar a língua.

Kevin: Sim, imitação, é uma ótima maneira, absolutamente e você gostou desde o início e aproveitou, então parece que uma forma divertida de praticar Inglês é tentar imitar as letras das músicas, certo?

Márcio: Sim, eu acho que uma dica que é boa para todo mundo que quer tentar o Inglês ou se tornar um falante de verdade e eu acho que uma dica é, uma das mais importantes, falar um pouco de Inglês todos os dias, eu acho que isso te ajuda a memorizar, internalizar e não esquecer as palavras, ajuda muito.

Kevin: Então você disse que essa é provavelmente sua maior dica e muitas pessoas pensariam, eu preciso de alguém com quem falar, mas não tenho ninguém para falar Inglês comigo, então não posso falar todos os dias, você concorda que é necessário ter alguém com quem falar, se pretende falar todos os dias?

Márcio: Sim, o tempo todo, eu tento dizer uma palavra ou escrever uma frase ou talvez encontrar um falante nativo que possa passar algum tempo falando Inglês com você, e vocês podem até trocar linguagens.

Kevin: Mas e se você não tiver ninguém para falar todos os dias, você ainda pode praticar a pronúncia?

Márcio: Sim.

Kevin: Como você praticaria pronúncia ou no seu caso até cantando com alguém na sua frente?

Márcio: Talvez tentando criar uma conversa, fingir que você está entrevistando alguém, que você está perguntando ou falando sobre o tempo, talvez tentando falar com alguém no telefone, fazendo perguntas, usando o vocabulário adequado de acordo com o tipo de conversa.

Kevin: Você meio que finge ouvir, como se estivesse em uma conversa.

Márcio: Sim, o tempo todo, especialmente porque aqui no Brasil, em São Paulo, nós não temos falantes nativos ou pessoas nativas andando na rua, é relativo dizer oh, eu estou aprendendo Inglês no colégio, agora vou pela rua e tento falar com a maioria das pessoas, não.

Kevin: Ok, bem, eu fiz isso em Português. Você tem uma conversa consigo mesmo em sua cabeça, certo?

Márcio: Sim.

Kevin: Você fala, como disse, finge que está tendo uma conversa em certa situação, mas você não precisa fazer isso em voz alta, pode fazer na sua cabeça, ter duas pessoas imaginarias e fingir que esta fazendo algo.

Márcio: Agora, nós temos montes de recursos que podem ajudar nesse tipo de estudo solitário, porque agora temos dicionário online que, se você não souber como pronunciar a palavra, ele ajuda. Você precisa ir para a internet, em geral ajuda muito.

Kevin: Com certeza, e essa é uma questão interessante, porque você começou a aprender quinze anos atrás, então foi muito mais difícil para você?

Márcio: Sim, completamente, eu acho que só tinha alguns livros por perto para me ajudar.

Kevin: Você só tinha livros basicamente e talvez (Márcio: Livros de estudo) música ou o rádio, Então você conseguiu aprender Inglês muito bem, e naquele tempo você nem tinha a internet, atualmente, com a internet, como você disse, é muito mais fácil encontrar recursos.

Márcio: Agora você tem a oportunidade de trabalhar em nossa apreciação, essa palavra é pronunciada assim e você tem recursos para te ajudar e dizer não, na verdade é assim, dessa maneira você pode repetir.

Kevin: Antes, em um dicionário, você tinha que e poderia aprender o alfabeto fonético e como pronunciar certa sílaba, mas, atualmente, para quem quer fazer isso, é um processo horrível, você pode simplesmente ficar online, encontrar a palavra e ver como ela soa. O que eu aprendi é que falar todos os dias é muito importante, e você não precisa necessariamente encontrar mais alguém para falar com você, você pode ser criativo e falar consigo mesmo no espelho, ter conversas em sua cabeça, ou qualquer outra forma criativa com a qual você pode praticar a pronúncia. Eu conheço alguém que costumava fazer as lições de Inglês de um livro e então fingir que estava dando aula para estudantes imaginários, talvez fossem suas bonecas, animais de estimação ou sei lá, mas ela fingia estar dando aula. Soa maluco, mas isso é algo muito inteligente e poderoso porque você estará aprendendo muito mais ao ensinar algo.

Márcio: Sim, ou tente fazer, por exemplo, um seminário online ou um seminário, ficar no topo do topo, não sei, talvez um ensaio ou talvez uma conversa com um amigo explique isso. Outra forma que eu acho que uso até agora, quando aprendo uma palavra eu a escrevo e coloco no objeto como um exemplo, assim aprendia novo vocabulário e meu quarto parecia uma casa de louco. Todos que entravam em meu quarto viam os post-its em minha TV e em meu computador.

Kevin: Post-it, você diria que post-it em Português é a mesma coisa, post-it?

Márcio: Sim, porque essa é a marca.

Kevin: Sim, é a marca, então você colocava post-its em todo o lugar, acho que ver a palavra, muitas vezes escrita no verdadeiro objeto ajuda muito.

Márcio: Até você se familiarizar com ela, depois pode jogar fora.

Kevin: Você obviamente sabia como integrar o Inglês com sua vida diária, o que você acha que te manteve motivado por tanto tempo para continuar praticando e estudando, porque isso é um problema, muitas pessoas começam por algumas semanas ou meses, animadas, e depois se desanimam porque não estão fluentes em poucos meses, e param, não fazem absolutamente nada, o que é a pior coisa que você poderia fazer. O que você fazia, quando você estava aprendendo, na época, o que te mantinha motivado para continuar?

Márcio: No meu caso era o mesmo eu acho, porque agora eu tenho amigos nativos, por isso preciso falar com eles em Inglês o tempo todo, e por isso agora quando falo com meus estudantes, nós sabemos que o Inglês é seu amigo, é a língua falada, é a língua falada no mundo todo, então acho que é importante, especialmente porque agora, estamos em uma época em que é tão importante falar Inglês para as pessoas estrangeiras, porque dependendo do país de onde a pessoa vem, eles falam apenas inglês, não importa o que falam. Eu acho que precisamos nos comunicar em Inglês.

Kevin: Então a necessidade, obviamente se você quiser ficar em casa e não fazer muita coisa, você provavelmente não precisará do Inglês, mas tão logo quanto você quiser sair e conhecer pessoas e possivelmente viajar para fora, para os EUA, ou trabalhar em uma empresa que exige Inglês, você precisa aprender, então essa é a motivação.

Márcio: Sim.

Kevin: Não é uma escolha hoje em dia para a maioria das pessoas.

Márcio: Estamos envolvidos com o Inglês em geral com equipamentos, música, canções em geral.

Kevin: O Inglês é uma parte da vida de todos.

Márcio: Sim.

Kevin: Então agora, por conta da necessidade e eu concordo com isso, o que alguém pode fazer, especialmente com a internet porque ela faz as coisas tão mais fáceis e talvez você possa falar um pouco sobre algumas das coisas que você faz atualmente ou alguns dos seus bons estudantes fazem. O que você pode fazer, para pegar essa necessidade, que para muitas pessoas é algo ‘chato’, Inglês é  ‘chato’ (Português) Eles pensam assim, então que conselhos você tem para alguém que não gosta de Inglês, mas precisa aprender, que dicas ou conselho você tem para essas pessoas em como se tornar bom o suficiente em Inglês para manter uma conversa?

Márcio: Eu acho que quando você tem o primeiro contato com a linguagem, é uma boa maneira de entender que algumas coisas são necessárias, a linguagem é necessária para aprender, então quando as pessoas frequentarem uma aula de Inglês ou fizerem parte de um grupo de discussão, vão perceber que é importante e precisam aprender, eu acho que é uma boa forma, não porque seu chefe mandou ou porque ele quer que você aprenda essa língua. Eu acho que quando você é forçado a fazer alguma coisa, você provavelmente vai parar no meio do aprendizado.

Kevin: Então, encontre uma situação na qual você está ativo na linguagem e na qual você pode, de fato, ver a linguagem em ação. Pensando em seus estudantes, particulares ou da escola, você consegue pensar em algo especificamente que é mais eficiente ou é melhor no aprendizado e possivelmente os ajuda a melhorar?

Márcio: Sim, ontem mesmo eu tive um caso curioso. O amigo de um dos meus estudantes, na semana passada estava me contando, Omar disse, ”Eu estou tão frustrado porque não posso praticar Inglês, mesmo no meu trabalho porque eu não uso, mas eu adoraria praticar, mas não tenho nenhum amigo nativo”. Ontem ele foi para os Estados Unidos para procurar falantes nativos do Inglês, porque queria falar com elas e talvez trocar algumas palavras em Inglês.

Kevin: Legal.

Márcio: E ele encontrou um amigo dele e o convidou para assistir uma partida no estádio entre a Inglaterra e…

Kevin: Chile?

Márcio: Uruguai, sim, e ele ficou fascinado porque se sentou perto de torcedores Ingleses, e teve que falar Inglês o tempo todo com eles, além de fazer alguns amigos Ingleses lá. Ele me mandou uma mensagem dizendo, “Marcio, foi incrível, eu realmente preciso aprender Inglês, acho que o Inglês agora é minha vida a partir desse momento”, e eu disse ótimo, é ótimo ter esse tipo de experiência.

Kevin: É muito legal e se ele não tivesse a coragem de ir para o estádio e ver o que aconteceria, não teria tido essa experiência.

Márcio: Eu estava fascinado com isso.

Kevin: Sim, é muito legal, e eu não sei se o Inglês que ele aprendeu de fãs britânicos é o mais apropriado para aprender, mas pelo menos ele pode ver o Inglês em ação.

Márcio: O engraçado é que ele disse “Eles dizem muitos palavrões”, e eu disse, é claro, você estava em um estágio.

Kevin: Provavelmente você não será apenas capaz de usar Inglês em algumas situações, mas eu estou brincando, é um ótimo exemplo e eu acho que isso é algo que nós falamos sobre antes, ele obviamente saiu de sua zona de conforto, enfrentou uma situação muito desafiadora e certamente estava um pouco nervosa com isso, mas por ter feito ele teve benefícios e assistiu a um jogo de futebol e passou um tempo com vários torcedores Britânicos malucos, eles são muito legais.

Márcio: Especialmente porque nós não praticamos muito, mesmo pais que ensinam Inglês, às vezes, se você não pensar por um longo tempo, provavelmente quando voltar a falar será bloqueado, você se sente bloqueado, e diz oh meu Deus.

Kevin: Rapidamente, você leva um tempo, se eu não falar Português por algumas semanas, já noto que piora, então.

Márcio: Sim, acontece.

Kevin: Mas pelo menos hoje em dia, como nós estávamos falando, você pode praticar todos os dias sem necessariamente estar com alguém, você pode ser criativo online em tantas maneiras diferentes. Eu uso em minhas aulas às vezes, com meus serviços os alunos podem gravar suas vozes falando, e mandar para mim, assim teremos uma conversa e eles não precisam estar comigo em pessoa, você pode simplesmente conversar virtualmente, com mais e mais tecnologia, seremos capazes de usar essas tecnologias para praticar em qualquer lugar, a qualquer momento.

Márcio: Sim, é excelente.

Kevin: Uma coisa que é difícil quando você está aprendendo sozinho e tem bons métodos, é consistente, pratica todos os dias, mas uma coisa que eu acho que é difícil para algumas pessoas é saber se estão melhorando quando não têm outra pessoa para falar com elas, que sejam melhores que elas. É mesmo, você tem uma opinião sobre isso ou qualquer método, quais são seus pensamentos sobre isso, como você se avaliaria e como continuaria motivado, se não soubesse que está realmente melhorando?

Márcio: Como eu te disse, eu adoro esse tipo de desafio e faço o meu melhor a cada dia, tento melhorar minha escrita, minha leitura, minhas habilidades de compreensão, uma coisa boa que eu acho que nós deveríamos fazer esforço para ouvir, por exemplo, podscasts ou programas de radio por talvez 20 minutos por dia, e você pode fazer isso na academia ou no caminho para o trabalho ou em casa, sentado em seu computador. Eu acho que quando você faz esforço para entender o que está sendo dito, você descobre rápido, acho que você precisa tentar entender as palavras e frases principais para ter uma ideia geral do que a conversa é sobre. Acho que se fizerem essas pequenas coisas todos os dias, vocês podem manter o Inglês vivo dentro de nós.

Kevin: Ok, manter o Inglês vivo, é isso que eu ouço de muitas pessoas e eu concordo, se você está constantemente, como você disse, focando no que você pode fazer a cada dia, escutar por vinte minutos, assistir series por vinte minutos, e estiver constantemente focado nisso, você não fica preocupado com o futuro ou com o quão bom você está ou o quanto está melhorando. Se você está constantemente trabalhando nisso e se esforçando, você vai notar que se torna mais fácil entender áudio, você vai começar a entender uma serie toda e com o tempo você naturalmente vai ver as coisas se tornarem mais fáceis, sem se preocupar, Oh, eu não sou bom o suficiente, eu não falo bem o suficiente, o que estou fazendo, é mais sobre focar no que você pode fazer para melhorar hoje, para praticar você concorda?

Márcio: Sim, é claro, eu concordo totalmente com você, por exemplo, quando você diz uma frase em outra língua por exemplo, é uma coisa boa tentar converter a frase para o Inglês. Eu acho que isso ajuda porque as estrofes que usamos no dia-a-dia, fazem parte da nossa rotina, então é parte disso, você pode melhorar seu vocabulário e melhorar suas habilidades no Inglês em geral, porque você estará pronunciando frases sensíveis e reais.

Kevin: Frases, Inglês de verdade.

Márcio: Sim.

Kevin: Muito legal, vou finalizar as coisas aqui, consegui muitas boas visões de você e acho que apenas para fechar, digamos que você está conversando com alguém que está começando a falar Inglês, pode ser um iniciante ou alguém de baixo nível, e a pessoa não sabe exatamente o que fazer quando está em casa, ou durante o dia para melhorar, se você puder dar a ele qualquer dica, provavelmente você já deu, mas apenas para resumir, você poderia dizer para a pessoa, isso é o que você deveria fazer e eventualmente você será bom no Inglês, tem algo específico que você diria, ou como você falaria com a pessoa?

Márcio: Eu diria para nunca desistir, não ache que você é velho demais, se você acha que não tem tempo suficiente para aprender, eu diria, melhor tarde do que nunca, então acho que todo mundo tem a oportunidade de aprender Inglês. Seja persistente e tente logo alguns livros, jornais e revistas em Inglês, ou tente ouvir por alguns minutos, tente entender o que está acontecendo, tente entender as ideias em geral e o principal, a estória de alguma coisa. Eu acho que se você começar a fazer isso, você pode crescer.

Kevin: Vá tão longe quanto precisar. Isso é ótimo e maravilhoso, nunca desista e pare.

Márcio: É, nunca.

Kevin: E o Inglês é uma grande parte de nossas vidas hoje em dia, você quase precisa escolher não se conectar com o Inglês, é quase como uma decisão. Eu não quero ver o Inglês; Eu não quero nada com isso; Porque se você não fizer essa escolha, verá o Inglês em todos os lugares. Contanto que você aceite, e pense sempre nisso, você vai obter melhoras e se tornar um falante fluente.

Márcio: Eu diria para não evitar o Inglês, tente encará-lo.

Kevin: Encarar, e se tornar amigo dele e fazer dele uma coisa boa, não um inimigo.

Márcio: Sim, isso mesmo.

Kevin: Muito bom, então é isso, algo mais que você gostaria de dizer sobre qualquer coisa?

Márcio: Não, acho que não, acho que isso é tudo.

Kevin: Novamente muito obrigada, meu objetivo aqui é ajudar outras pessoas a se tornarem amigas do Inglês, se ainda não forem, e eu acho que você forneceu muitas boas perspectivas pra ajudá-las hoje, então mais uma vez, obrigada por passar seu tempo comigo e nós manteremos contato, é isso aí, tudo certo.

Márcio: Sim, obrigada por nos ajudar a melhorar nossas habilidades no Inglês, pois sempre sigo suas dicas publicadas online, é excelente e isso é tudo, obrigada.